TRAGÉDIA: Policial mata esposa grávida, dispara contra Batalhão da PM e tira sua vida; tenente recém-promovido TRAGÉDIA: Policial mata esposa grávida, dispara contra Batalhão da PM e tira sua vida; tenente recém-promovido TRAGÉDIA: Policial mata esposa grávida, dispara contra Batalhão da PM e tira sua vida; tenente recém-promovido

BANNER PRINCIPAL

SUPER BANNER

SUPER BANNER

SUPER BANNER

TRAGÉDIA: Policial mata esposa grávida, dispara contra Batalhão da PM e tira sua vida; tenente recém-promovido








Um policial militar recém-formado, identificado apenas por "Guilherme", foi o autor de uma tragédia nesta manhã de terça-feira (20). Ele matou a própria esposa grávida de dois meses com sete tiros, e depois se dirigiu até o 19º Batalhão da PM, no bairro do Pina, onde servia, para atirar contra outros membros da corporação. Depois, ele tirou sua vida. Uma das vítimas dos disparos não resistiu e morreu no local. Era Souza, promovido nesta segunda-feira (19) ao cargo de segundo-tenente.
 

Outros três policiais foram atingidos por Guilherme. A Major Aline, baleada nas costas e levada ao Real Hospital Português; o Cabo Rebêlo, também baleado e levado ao mesmo hospital; e o Sargento Uchôa, vítima de um tiro de raspão na cabeça e encaminhado para o Hospital da Restauração, no bairro do Derby. Nenhum deles teve o seu estado de saúde divulgado.


De acordo com uma testemunha policial ouvida pela reportagem do Diario de Pernambuco, o homem se formou na última turma da PM e apresentava distúrbios psicológicos. 


Abaixo, confira nota enviada pela Polícia Militar sobre o caso

"As forças de segurança estão atuando de forma integrada, neste momento, para dar o suporte aos feridos, investigar e coletar elementos que ajudem a elucidar as circunstâncias e a motivação dessa tragédia envolvendo policiais do 19º batalhão e a mulher de um policial. No contexto atual, não é possível repassar outras informações e é prematuro, além de irresponsável, fazer conjecturas. Neste momento de dor e comoção, solicitamos compreensão e respeito às vítimas, familiares, colegas de profissão e demais envolvidos. Oportunamente, faremos novos esclarecimentos. As polícias Militar, Civil, Científica e o Corpo de Bombeiros, além de outros órgãos, estão dedicados ao trabalho."