Três pessoas são presas na Paraíba em operações de combate a fraudes em concursos públicos Três pessoas são presas na Paraíba em operações de combate a fraudes em concursos públicos Três pessoas são presas na Paraíba em operações de combate a fraudes em concursos públicos

BANNER PRINCIPAL

SUPER BANNER

SUPER BANNER

SUPER BANNER

Três pessoas são presas na Paraíba em operações de combate a fraudes em concursos públicos



Três pessoas foram presas em João Pessoa em duas operações que investigam uma organização criminosa voltada à prática dos crimes de fraude em concurso público e falsidade ideológica, deflagradas na manhã desta quinta-feira (20). As operações “Múltipla Escolha” e “Pitonisa” foram coordenadas pela Polícia Civil de Pernambuco, com apoio das polícias civis da Paraíba, Alagoas, Espírito Santo e Distrito Federal.

“São duas operações desencadeadas ao mesmo tempo, com pessoas envolvidas nas duas operações. Recebemos informações da Operação Gabarito, também de outros estados, e conseguimos deflagrar essa operação hoje”, disse o delegado Diogo Vitor, adjunto da 1ª Delegacia de Combate à Corrupção (DECCOR), integrante do Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (DRACCO) de Pernambuco. Nos quatro estados e no DF, foram cumpridos 11 mandados de prisão e 30 de busca e apreensão.

A Gabarito foi uma investigação que, em 2017, desarticulou um grupo criminoso suspeito de fraudar quase cem concursos públicos em, pelo menos, 15 estados. Entre as seleções, havia certames municipais, estaduais e federais. 

Segundo a Polícia Civil, as investigações de ambas as operações começaram em junho de 2018. “São pessoas que têm envolvimento direto com a realização de provas e a divulgação do gabarito com utilização de pontos eletrônicos, microcelulares, relógios com telefone, entre outros. São pessoas importantes na investigação”, diz Diogo Vitor.

Os criminosos são suspeitos de fraudar dois concursos da área policial, segundo informações da Polícia Civil de Pernambuco. No entanto, não foram dados detalhes de quais seleções foram essas, nem em que estados.

Ainda conforme o delegado, foi decretada a prisão preventiva dos suspeitos, que vão passar por audiência de custódia ainda nesta quinta-feira. Em João Pessoa, foram presos dois homens e uma mulher, além da apreensão de documentos, objetos relativos a concursos públicos, entre outros, em endereços nos bairros do Bessa, Bairro dos Ipês e Bairro dos Estados.


Ao longo das investigações, a Polícia Civil daquele estado descobriu a que organização criminosa era tratada como “empresa” pelos mais de 82 suspeitos envolvidos.

O grupo fraudou concursos em pelo menos 15 estados, aprovou mais de 500 pessoas e movimentou R$ 29 milhões em 12 anos de atuação, apontaram os policiais naquele ano.

Fonte: g1 PB