Júri do caso do Cabo Paulino, que foi morto em Malta, em julho de 2021, é realizado em Patos, nessa quinta (31) e réus são absolvidos pelo placar de 4×0 Júri do caso do Cabo Paulino, que foi morto em Malta, em julho de 2021, é realizado em Patos, nessa quinta (31) e réus são absolvidos pelo placar de 4×0 Júri do caso do Cabo Paulino, que foi morto em Malta, em julho de 2021, é realizado em Patos, nessa quinta (31) e réus são absolvidos pelo placar de 4×0

BANNER PRINCIPAL

BLOCO pequeno I

SUPER BANNER

SUPER BANNER

Júri do caso do Cabo Paulino, que foi morto em Malta, em julho de 2021, é realizado em Patos, nessa quinta (31) e réus são absolvidos pelo placar de 4×0



Foi realizado nesta quinta-feira, dia 31 de março, o júri envolvendo os quatro réus do caso do Cabo Paulino, Policial Militar que foi morto com um disparo de arma de fogo, em julho de 2021, na cidade de Malta, após desentendimento.

O crime aconteceu no centro da cidade, no dia 28 de julho. Imagens de segurança flagraram quando uma briga teve início em uma lanchonete, e o policial foi morto a tiro, após briga corporal com o acusado, Alexsandro Dias de Oliveira; além de contar com a presença de Wigna Ferreira, Francisca Suênia, Ramon Ferreira, Cássio Félix e Danilo Miguel, que são suspeitos de terem participado da briga que resultou no homicídio.

O julgamento durou quase 12 horas e a sessão foi presidida pela Dra. Isabella Joseanne, titular da 1ª Vara, Rafael de Carvalho, promotor do Ministério Público, e pelos advogados de defesa: Aylan Pereira, Glauco Pedrogan, Heron Fernandes e Fátima Diniz.

A tese da defesa era de negativa de autoria do crime e foi acatada pelo júri em um placar final de 4×0: “Na sua fala, o promotor pediu a absolvição de um dos réus e o afastamento da tipificação relativa à organização criminosa. Ao final, foi acatada a tese da defesa e agora a gente espera que, como foi feita justiça por demais ontem naquela sessão, espera-se que as pessoas envolvidas voltem ao seu dia a dia, aos seus trabalhos, a sua vida normal”, comentou Aylan Pereira.

Aylan também fala que ainda será realizada a última sessão no próximo dia 06 de abril e espera que os trabalhos sejam dados dentro da mais perfeita normalidade e que seja feita ao final, justiça, como foi feita na noite de ontem.


Patosonline.com