MPT destina R$ 163 mil para construir e equipar galpão de reciclagem em Cajazeiras e melhorar renda de catadores MPT destina R$ 163 mil para construir e equipar galpão de reciclagem em Cajazeiras e melhorar renda de catadores MPT destina R$ 163 mil para construir e equipar galpão de reciclagem em Cajazeiras e melhorar renda de catadores

BANNER PRINCIPAL

BLOCO pequeno I

SUPER BANNER

SUPER BANNER

MPT destina R$ 163 mil para construir e equipar galpão de reciclagem em Cajazeiras e melhorar renda de catadores




Aproximadamente 70 famílias de catadores de materiais recicláveis do município de Cajazeiras, no Sertão paraibano, serão beneficiadas diretamente com projeto para melhorar as condições de trabalho e ampliar a renda. Para isso, o Ministério Público do Trabalho na Paraíba (MPT-PB) destinou R$ 163 mil para construir e equipar um galpão de reciclagem na cidade, numa ação em parceria com o Instituto Maria José Batista Lacerda (IMJOB). O projeto também contemplou a compra de fardamento adequado para os trabalhadores, que receberão camisa, calça, botas, além de EPIs, como luvas e chapéu.

A inauguração desse novo espaço para abrigar os trabalhadores acontecerá na próxima terça-feira (22), às 9h, em Cajazeiras, com a participação do Ministério Público do Trabalho (MPT), de catadores e parceiros do projeto, em solenidade respeitando todos os protocolos de segurança por causa da pandemia de Covid-19. O galpão será a sede do projeto “Reciclando Materiais e promovendo Cidadania”.

Inicialmente, o galpão foi alugado com recursos municipais, mas não apresentava estrutura física adequada e veio o projeto de construção. “A gente vivia muito precário lá, via a hora cair tudo por cima da gente. Não tinha água, a luz era precária, o estado de tudo era precário. Agora, sim, mudou e vai melhorar muito mais a vida da gente”, revelou a presidente da Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Cajazeiras (ASCAMARC), Josefa de Souza Martins, enfatizando que o número de trabalhadores beneficiados deve aumentar, tendo em vista a ampliação do número de novos associados.



"Essa é uma atividade cuja prática associativa é o caminho para uma maior produtividade, incremento tecnológico e potencialização da renda dos associados. Esse apoio à associação dos catadores de Cajazeiras está sinalizando nessa direção, a de proporcionar mais saúde, segurança e qualidade de vida a dezenas de trabalhadores”, afirmou o procurador do Trabalho Paulo Germano Costa de Arruda, acrescentando que os valores destinados ao projeto para construir e equipar o galpão foram provenientes de multas trabalhistas.

Construção, equipamentos e fábrica de vassouras

O MPT-PB destinou R$ 163 mil para as duas etapas do projeto em Cajazeiras: construção do galpão e aquisição de equipamentos. Com os recursos destinados foram adquiridos uma prensa enfardadeira para reciclagem, uma empilhadeira, duas bicicletas elétricas e duas balanças. A cozinha será toda equipada com móveis e eletrodomésticos: geladeira, fogão, micro-ondas, ventilador de parede, mesa, cadeiras.

Além disso, no galpão também vai funcionar uma fábrica de vassouras, que serão produzidas com garrafas pet. Para essa finalidade, foi adquirida uma máquina específica. O projeto apresentado pelo IMJOB ao MPT justifica que essa iniciativa tem o “intuito de fomentar o espírito empreendedor” nos catadores associados.

O MPT já apoiou vários projetos na área socioambiental em diversos locais, inclusive, em cooperativas e associações de trabalhadores que atuam na coleta seletiva e reciclagem no Estado. Os recursos provenientes de destinações foram utilizados na compra de máquinas, aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), dentre outros.

Cozinha e banheiro

Com o novo galpão de reciclagem, os catadores de Cajazeiras terão acesso a um banheiro e a uma estrutura de cozinha, que pode ser reversível para sala de reunião. Para planejar e executar a obra, o Instituto Maria José Batista Lacerda contou com a colaboração de professores, coordenadores e estudantes dos cursos de Engenharia e Arquitetura da Faculdade Santa Maria, que é parceira da instituição.

“A missão do IMJOB é otimizar e viabilizar novas ideias, integrando pessoas, construindo dignidade para transformação social e, dentre os valores norteadores estão a sustentabilidade, o empreendedorismo e a inovação”, afirmou a coordenadora executiva do IMJOB e assistente social Joanacele Nóbrega.

Filha de catadores apontou realidade

Em 2020, a estudante de Administração e filha de catadores, Solange Aguiar, decidiu retratar a realidade dos seus pais em um trabalho da faculdade. Foi então que ela desenvolveu a pesquisa Qualidade de vida dos catadores de resíduos sólidos da cidade de Cajazeiras-PB: estudo de caso da associação dos catadores-ASCAMARC. O tema resultou no seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

A pesquisa apontou a realidade das famílias que viviam da coleta de resíduos sólidos no município e a situação chamou a atenção da professora doutora Pavlova Christinne Cavalcanti Lima, que orientou o trabalho de Solange na faculdade. A professora procurou o IMJOB para construção de parcerias e a elaboração do projeto para ser apresentado ao MPT.

“A catação possibilita a sobrevivência desses trabalhadores, que se encontravam excluídos e sem alternativas para a subsistência. Além do inquestionável aspecto ambiental, a reciclagem possibilita ganhos sociais ao absorver no seu circuito produtivo os catadores de materiais recicláveis”, afirmou a professora Pavlova Cavalcanti.





Por: Ascom/MPT-PB.