Após protestos, governador da PB propõe reajuste de 10% e incorporação de 80% da bolsa desempenho para militares Após protestos, governador da PB propõe reajuste de 10% e incorporação de 80% da bolsa desempenho para militares Após protestos, governador da PB propõe reajuste de 10% e incorporação de 80% da bolsa desempenho para militares

BANNER PRINCIPAL

BLOCO pequeno I

SUPER BANNER

SUPER BANNER

Após protestos, governador da PB propõe reajuste de 10% e incorporação de 80% da bolsa desempenho para militares






O governador João Azevêdo (Cidadania) propôs nesta terça-feira (4) a incorporação de 80% da bolsa desempenho ao salário para policiais e bombeiros militares da Paraíba, durante reunião com representantes das categorias, na Granja Santana, em João Pessoa. Enquanto a reunião acontecia, policiais e bombeiros protestavam na Praça da Independência contra a Lei de Proteção aos Militares, que foi aprovada pela Assembleia Legislativa da Paraíba.

Além da incorporação dos 80% da bolsa desempenho ao salário, no período de 36 meses, sendo 20% implementados de imediato neste início de ano, o governador anunciou um reajuste de 10% para toda a categoria e aumento de 100% no valor das horas extras para soldado, cabo e sargento em dias especiais (como Carnaval e Ano Novo).


Outra promessa é a de encaminhar à Assembleia Legislativa o detalhamento das promoções “para que não gere mais dúvidas” em relação à Lei de Proteção aos Militares. “Outro ponto de conquista é de que, o soldado, para ser promovido para cabo e de cabo para 3º sargento ele leva 10 anos. Estamos trabalhando e vamos apresentar a proposta, esse foi o nosso compromisso, de reduzir esse tempo para que haja uma promoção muito mais rápida”, afirmou o governador.

A proposta será encaminhada pelos representantes das associações às categorias. A expectativa do governo é que na próxima quinta-feira (6) seja realizada uma nova rodada de negociações para acertar os detalhes.

Participaram da reunião o coronel Sobreira (representante da Caixa Beneficente); coronel Francisco Assis (representante do Clube dos Oficiais e do Corpo de Bombeiros); coronel Maquir Alves (representante da Associação dos Inativos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros); cabo Eliane Santos (representante da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiros Militar); sargento Wellington Soares (representante do subtenente e sargentos da Polícia Militar); major Luiz Antônio (representante da Associação dos oficiais).

Também estiveram presentes os secretários Jean Francisco Nunes (Segurança e da Defesa Social); Marialvo Laureano (Fazenda); Gilmar Martins (Planejamento, Orçamento e Gestão); Jacqueline Gusmão (Administração); Sérgio Fonseca (Administração Penitenciária); Letácio Guedes (Controladoria Geral do Estado); coronel Euller Chaves (comandante da Polícia Militar); coronel Marcelo Araújo (comandante do Corpo de Bombeiros Militar); André Rabelo (delegado geral da Polícia Civil); e Fábio Andrade (procurador geral do estado), além do presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino.



Policiais e bombeiros militares da Paraíba fizeram um protesto na manhã desta terça-feira (4) na Praça da Independência, em João Pessoa. Os agentes são contra a Lei de Proteção aos Militares, que foi aprovada pela Assembleia Legislativa da Paraíba.

Segundo as duas categorias, a nova lei vai provocar perdas financeiras no momento da aposentadoria dos militares. Eles reivindicam também aumento salarial, alegando defasagem e perda do valor de compra nos últimos anos.

G1