Policiais e bombeiros militares da Paraíba fazem protesto contra Lei de Proteção aos Militares Policiais e bombeiros militares da Paraíba fazem protesto contra Lei de Proteção aos Militares Policiais e bombeiros militares da Paraíba fazem protesto contra Lei de Proteção aos Militares

BANNER PRINCIPAL

SUPER BANNER

SUPER BANNER

SUPER BANNER

Policiais e bombeiros militares da Paraíba fazem protesto contra Lei de Proteção aos Militares







Policiais e bombeiros militares paraibanos realizaram um protesto na tarde desta terça-feira 28) em João Pessoa. Eles se concentraram em frente ao Palácio da Redenção, sede do Governo da Paraíba, e foram caminhando pela avenida Beira Rio até a Granja Santana, residência oficial do governador. Eles são contra a aprovação da Lei de Proteção aos Militares, que foi aprovada pela Assembleia Legislativa da Paraíba.

Segundo as duas categorias, a nova lei vai provocar perdas financeiras no momento da aposentadoria dos militares. Eles reivindicam também aumento salarial, alegando defasagem e perda do valor de compra nos últimos anos.

Ao térmico da passeata, eles se aglomeraram em frente à Granja, com gritos de protestos e reclamações direcionadas ao governador João Azevêdo (Cidadania) e aos deputados estaduais paraibanos que votaram a favor da nova lei.

A lei ainda precisa ser sancionada pelo governador para que possa ter validade, mas o Governo do Estado já disse que ela vai sim ser sancionada. De acordo com o Poder Executivo, a lei não retira direitos das categorias, e é uma exigência do Sistema de Proteção Social dos Militares, que foi aprovado pelo Congresso Nacional em 2029. O Sistema cria uma previdência específica tanto para as Forças Armadas quando para as carreiras militares estaduais.

Veja também  Casos de síndromes gripais sobem 60% em um mês na UPA Oceania, em João Pessoa

Ainda de acordo com o Governo da Paraíba, as unidades da federação foram obrigadas por essa lei federal a criar normas específicas para cada um dos estados. E o prazo final era justamente dezembro deste ano.


Por meio das redes sociais, o governador João Azevêdo informou que está prevista para 4 de janeiro de 2022 uma reunião com representes das categorias para discutir remuneração, subsídios e reajustes.