Réu confessa crime de homicídio durante júri e pede para ser condenado, em Conceição Réu confessa crime de homicídio durante júri e pede para ser condenado, em Conceição Réu confessa crime de homicídio durante júri e pede para ser condenado, em Conceição

BANNER PRINCIPAL

BLOCO pequeno I

SUPER BANNER

SUPER BANNER

Réu confessa crime de homicídio durante júri e pede para ser condenado, em Conceição



O réu, Edivan Alexandre da Silva, acusado de ter matado com um golpe de faca-peixeira o comerciante Francisco Manoel das Chagas, foi condenado a 14 anos de 2 meses de reclusão, durante julgamento realizado pelo Tribunal de Júri Popular, na manhã desta quarta-feira (15), na cidade de Conceição. O crime ocorreu no dia 9 de novembro de 2020, no bar pertencente à vítima, localizado nas proximidades do Mercado Público de Conceição.

“Se eu me arrepender não vai trazer a vida dele de volta, mas eu estou arrependido e quero ser condenado e quero pagar pelo que eu fiz”, disse.
 

 
Ao ser ouvido, durante o júri, o próprio réu pediu para ser condenado, depois de confessar o crime e se mostrar disposto a cumprir a eventual pena imposta a ele.
 
Depois da oratória, tanto do promotor de justiça, do advogado de acusação e do defensor público, que representou o paciente, o Conselho de Sentença, com base nas provas do processo e na confissão do próprio réu, pugnou pela condenação, reconhecendo a qualificadora da prática do crime por motivo fútil.
 
Diante do exposto, o juiz Francisco Thiago da Silva Rabelo, que presidiu o júri, julgou procedente a pretensão punitiva e, por conseguinte, condenou o réu em 14 anos e 3 meses de reclusão a serem cumpridos em regime fechado.
 
Depois do encerramento do júri, Edivan Alexandre foi encaminhado para a Cadeia Pública de Conceição, onde cumprirá a pena a ele imposta pelo Tribunal do júri.
 
 
 
Fonte: Por Gilberto Angelo, do Vale do Piancó Notícias