Polícia Civil prende quadrilha que pode ter aplicado golpe do boleto em correspondente bancário de Patos Polícia Civil prende quadrilha que pode ter aplicado golpe do boleto em correspondente bancário de Patos Polícia Civil prende quadrilha que pode ter aplicado golpe do boleto em correspondente bancário de Patos

BANNER PRINCIPAL

BLOCO pequeno I

SUPER BANNER

SUPER BANNER

Polícia Civil prende quadrilha que pode ter aplicado golpe do boleto em correspondente bancário de Patos



A Polícia Civil do Ceará e do Pará prenderam um grupo com atuação nesses estados e na Paraíba, que era investigado por participação em um esquema para montar falsas casas lotéricas e correspondentes bancários, onde eles aplicavam golpes contra a população desses estados. A operação Foco aconteceu nas cidades cearenses de Fortaleza, Beberibe e Horizonte. Cinco pessoas foram presas.

De acordo com as denúncias e investigações da PC, o grupo pode ter dado um prejuízo de 1 milhão de reais nos três estados. Os suspeitos se apropriavam do dinheiro dos clientes, que iam aos estabelecimentos pagar seus boletos, mas a equipe não realizava a compensação dos valores e os boletos acabaram não sendo pagos. O dinheiro era desviado para contas dos bandidos.

“As pessoas enganadas por eles eram pessoas humildes. Os boletos, na grande maioria, eram de pagamentos de contas de energia, água”, explicou a delegada Ana Scotti, titular da Delegacia Municipal de Beberibe.

Ao todo, foram capturados quatro homens e uma mulher, todos investigados por crimes de estelionato, falsidade ideológica, uso de documentação falsa, associação criminosa, apropriação indébita e fraude no comércio. Pelo menos três estabelecimentos foram abertos em Itaitinga, Horizonte e Beberibe, no Ceará. No Pará, as agências foram abertas em Belém e Ananindeua. A Polícia Civil ainda investiga a abertura irregular de empreendimentos na cidade de Patos, na Paraíba.

Foram presos: Antônio George Nogueira Gama (43), com antecedentes por tráfico de drogas; Estênio de Oliveira Cunha Filho (21), Francisco Joel da Silva Souza (24), Jeferson do Nascimento Coelho (27) e Naiane de Freitas da Costa (19). Além disso, os policiais civis apreenderam celulares e tablets que serão utilizados para subsidiar as investigações. Conforme o delegado Fernando Marcolino, da Delegacia de Estelionato e outras Fraudes da PC-PA, somente no Pará, cerca de 60 vítimas compareceram à delegacia e registraram a ocorrência. O delegado explicou ainda que os suspeitos passaram cerca de 15 dias recebendo os pagamentos realizados pelas vítimas, até ser descoberta a fraude.

Golpes em Patos

Em Patos, o correspondente bancário foi instalado no centro da cidade, na rua Solón de Lucena, e permaneceu pelo período de 15 dias. Tempo suficiente para que os estelionatários prejudicassem mais de 100 vítimas. No dia 8 de julho, quando os funcionários da suposta agência chegaram para trabalhar, tudo estava revirado e não foi mais possível manter contato com os dois golpistas que encabeçaram o negócio fraudulento. Inúmeros clientes fizeram seus pagamentos no correspondente bancário, mas após 15 dias perceberam que os valores não haviam sido compensados. Eles procuraram a Polícia Civil para denunciar o caso.

CLICK AQUI E LEMBRE O CASO AQUI DE PATOS

Patosonline.com