Júri popular de Cajazeiras condena Marcelo Baiano e Matheus Alves cada um a uma pena de 44 e 10 meses de prisão pelos crimes, duplo homicídio qualificado, ocultação de cadáver, corrupção de menor e associação criminosa Júri popular de Cajazeiras condena Marcelo Baiano e Matheus Alves cada um a uma pena de 44 e 10 meses de prisão pelos crimes, duplo homicídio qualificado, ocultação de cadáver, corrupção de menor e associação criminosa Júri popular de Cajazeiras condena Marcelo Baiano e Matheus Alves cada um a uma pena de 44 e 10 meses de prisão pelos crimes, duplo homicídio qualificado, ocultação de cadáver, corrupção de menor e associação criminosa

BANNER PRINCIPAL

BLOCO pequeno I

SUPER BANNER

SUPER BANNER

Júri popular de Cajazeiras condena Marcelo Baiano e Matheus Alves cada um a uma pena de 44 e 10 meses de prisão pelos crimes, duplo homicídio qualificado, ocultação de cadáver, corrupção de menor e associação criminosa




No último dia 24 de setembro de 2021, o Tribunal do Júri de Cajazeiras condenou os réus Marcelo Henrique de Sousa e Matheus Alves Lacerda, cada um, a uma pena de 44 anos e dez meses de prisão pelos crimes de duplo homicídio qualificado, ocultação de cadáver, corrupção de menor e associação criminosa.

Marcelo Baiano e Matheus Alves Lacerda, foram acusados de duplo homicídio ocorrido  no mês de fevereiro de 2018.


 As vítimas, Fernando Bonifácio Santos, de 24 anos, e Marcos Vinicius Barbosa (Marquinhos), de 16 anos na época, foram levados por um amigo para o cheiro do queijo onde foram mortos pela dupla.



Marcelo e Matheus, que são compadres, foram presos e um adolescente apreendido no dia (20) de março, em Cajazeiras, suspeitos de serem os autores dos dois homicídios que chocaram a cidade.


 As prisões e apreensão foram resultado de uma ação conjunta entre as polícias Civil e Militar.


Em entrevista coletiva, na época do crime o delegado Glauber Fontes, da Polícia Civil, e o Comandante do 6º BPM de Cajazeiras confirmaram que os suspeitos relataram em depoimento que os assassinatos de Fernando Bonifácio Santos, 24 anos, e Marcos Vinicius Barbosa (Marquinhos), de 16 anos, foram por vingança.


Os corpos de Fernando e Marquinhos foram encontrados no sítio Lagoinha e no sítio Riacho da Lagoa, zona rural de Cajazeiras, no domingo (25) e na terça (27), respectivamente. Sendo que o de Marquinhos foi enterrado em cova rasa na propriedade da família de Matheus Alves. 


Segundo o delegado Glauber Fontes, os suspeitos teriam confirmado que os homicídios foram motivados por vingança, já que Marcelo Henrique de Sousa, o “Marcelo Baiano”, foi vítima de uma tentativa de homicídio com arma de fogo no ano anterior.


Ao descobrir que supostamente Fernando e Marquinhos haviam passado informações sobre sua localização para o autor dos disparos, Marcelo Baiano,  um adolescente de 17 anos, e Matheus Alves Lacerda, teriam premeditado os assassinatos como vingança contra as vítimas.


O adolescente era quem atraía as vítimas para os locais dos crimes convidando-as para fumar maconha, e que lá estavam Marcelo Baiano e Matheus que aguardavam para executar os homicídios. 


Ao final dos trabalhos, os dois receberam a condenação de 44 anos e dez meses de prisão e retornaram ao Presídio.

Os trabalhos foram conduzidos pelo  DR Ricardo Henriques Pereira Amorim, Juiz de Direito.