Suspeita de mentir sobre bolsa encontrada com R$ 47 mil é presa por estelionato na tarde deste sábado (14) Suspeita de mentir sobre bolsa encontrada com R$ 47 mil é presa por estelionato na tarde deste sábado (14) Suspeita de mentir sobre bolsa encontrada com R$ 47 mil é presa por estelionato na tarde deste sábado (14)

BANNER PRINCIPAL

BLOCO pequeno I

SUPER BANNER

SUPER BANNER

Suspeita de mentir sobre bolsa encontrada com R$ 47 mil é presa por estelionato na tarde deste sábado (14)



Foi presa neste sábado (14), por estelionato, uma mulher que disse ter encontrado uma bolsa com R$ 47 mil reais dentro, em Sapé, na Paraíba. A mulher, que se identificou como Daiane Silva, contou que encontrou a bolsa no sábado (7) e que tentou encontrar a dona para devolver o item. De acordo com a Polícia Civil, ela forjou a história para receber benefícios de pessoas comovidas com o caso — segundo a polícia, ela recebeu doações em dinheiro que chegaram a R$ 5 mil.


Ela foi conduzida para a 6ª Delegacia Distrital de Santa Rita, na Grande João Pessoa, onde foi ouvida pelo delegado Carlos Othon e foi lavrado o flagrante. A Polícia Civil também vai solicitar o bloqueio judicial dos valores que Daiane recebeu por causa da história forjada.


De acordo com Mozart Tiago, advogado de defesa de Daiane Silva, ela confessou o crime. Como ela tem filhos menores, a defesa vai solicitar prisão domiciliar.


A história inventada

Em seu relato, Daiane disse que era diarista e cobrava R$ 50 por uma faxina. Segundo contou, ela estava de folga no sábado (7) e passeava com as filhas no centro da cidade de Sapé, quando encontrou uma bolsa em uma praça. Ela contou ainda que olhou para os lados, não viu ninguém e, por isso, decidiu levar a bolsa para casa e procurar a dona.



Daiane disse que, após chegar em casa, viu que a bolsa tinha documentos, um celular e vários pacotes fechados. Ela contou ter pensado que os pacotes poderiam conter dinheiro ou droga e que decidiu não abri-los. Relatou ainda que, na segunda-feira (9), começou a pensar como faria para encontrar a dona e que ouviu no rádio o anúncio da perda de uma bolsa. Em seguida, teria entrado em contato com a pessoa para dizer que tinha encontrado o item.


Ainda segundo o relato de Daiane, ela marcou a devolução da bolsa em frente ao Batalhão da Polícia Militar de Sapé e que, chegando no ponto marcado, entregou a bolsa à dona e pediu a ela que conferisse os itens. Nesse momento, teria sido informada que havia dinheiro dentro dos pacotes que estavam na bolsa.



Investigação policial

Desde a veiculação da história, a Polícia Civil começou a acompanhar o caso, coletando informações baseado em alguns detalhes da história que estavam desencontrados. Na investigação, a polícia identificou que Daiane Silva já responde por estelionato em Bananeiras, cidade a pouco mais de 70 km; lá, ela forjou a cirurgia de uma das filhas para comover as pessoas e arrecadar dinheiro para a suposta intervenção médica.



A partir daí, a Polícia Civil descobriu que o telefone da suposta dona da bolsa era, na verdade, de Daiane Silva, e que ela fazia o "personagem" tanto da pessoa que tinha encontrado a bolsa, quanto de quem tinha perdido, também com o objetivo de comover a população e ser beneficiada com o caso.


"Nunca existiu bolsa, nunca existiu dinheiro, tudo foi uma grande farsa", declarou o delegado Carlos Othon.

Neste sábado, ainda recebendo dinheiro por causa da história que forjou, Daiane Silva foi presa em flagrante enquanto dava entrevista para um veículo de comunicação. De acordo com Carlos Othon, a Daiane recebeu alguns depósitos bancários de pessoas que se comoveram com a história e quiseram ajudá-la —no total, teria ganho cerca de R$ 5 mil em doações. Ganhou também um curso técnico de enfermagem com todas as mensalidades pagas e outros benefícios.


A Polícia Civil vai solicitar o bloqueio judicial dos valores da conta bancária da mulher, por se tratar de dinheiro proveniente do crime. Ela foi presa em flagrante na 6ª Delegacia Distrital de Santa Rita. Depois, foi encaminhada para exame de corpo delito e está detida na carceragem da Central de Polícia Civil. Ela vai responder pelo crime de estelionato e não tem direito a fiança.