'Superobeso' que chegou a perder 230kg em 2017 morre de Covid-19 em Patos, na Paraíba 'Superobeso' que chegou a perder 230kg em 2017 morre de Covid-19 em Patos, na Paraíba 'Superobeso' que chegou a perder 230kg em 2017 morre de Covid-19 em Patos, na Paraíba

BANNER PRINCIPAL

BLOCO pequeno I

SUPER BANNER

SUPER BANNER

'Superobeso' que chegou a perder 230kg em 2017 morre de Covid-19 em Patos, na Paraíba







Morreu de Covid-19 no fim da tarde desta quinta-feira (1º) em Patos, no Sertão da Paraíba, o paraibano Carlos Antonio dos Santos, o Carlinhos, que se tornou conhecido no país em 2017 após perder 230 quilos. Conhecido como “superobeso”, ele chegou a pesar 420 quilos, mas perdeu peso após um tratamento contra a obesidade mórbida no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

'Superobeso' da PB perde 230 kg em dois anos de tratamento
Jovem da Paraíba com mais de 400kg é transferido para hospital em PE
Carlinhos tinha 34 anos e, apesar do tratamento de três anos atrás, tinha algo em torno de 250kg nos dias atuais. E, com problemas de mobilidade, ele sempre precisava do apoio do Corpo de Bombeiros de Patos para realizar descolamentos maiores.



E foi justamente o Corpo de Bombeiros que foi acionado no domingo (27), para transferi-lo de casa para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município, já com suspeitas de Covid-19.

Por causa de sua obesidade mórbida grave, contudo, o caso se complicou rapidamente. E na segunda-feira (28) ele precisou ser transferido para o Complexo Hospitalar Regional de Patos, onde foi intubado.

O comandante dos Bombeiros no município, major Danilo Galvão, explicou que a equipe precisou de uma ambulância grande, adaptada, para transferir Carlinhos da UPA ao Hospital na própria cama, já que a situação clínica dele era muito delicada. “Era uma condição respiratória grave”, explica.

Após a morte ser confirmada, inclusive, o major deslocou uma viatura para o hospital, que vai ser responsável pelo seu deslocamento depois do corpo for liberado.

Como a morte foi por Covid-19, toda a equipe está com os parâmetros de proteção sanitária e a tendência é que o enterro aconteça de forma rápida, sem a realização de velório.

Por G1 PB