‘Reis da cocaína’ usavam empresas de gás em JP para lavagem de dinheiro ‘Reis da cocaína’ usavam empresas de gás em JP para lavagem de dinheiro ‘Reis da cocaína’ usavam empresas de gás em JP para lavagem de dinheiro

BANNER PRINCIPAL

BLOCO pequeno I

SUPER BANNER

SUPER BANNER

‘Reis da cocaína’ usavam empresas de gás em JP para lavagem de dinheiro




Empresas de gás eram utilizadas para lavagem de dinheiro do tráfico por duas organizações criminosas alvos da operação ‘Morabito’, deflagrada nesta segunda-feira (5) em João Pessoa pela Polícia Civil. Os líderes se autodenominavam “reis da cocaína” e foram presos durante a ação.

Além deles, outras 10 pessoas foram presas em cumprimento a mandados de prisão. Jonata e ‘Rolinha’ têm idades entre 25 e 30 anos e são considerados os líderes do esquema criminoso. Com a mãe de um deles a polícia encontrou R$ 85 mil em espécie. Outras mulheres também foram presas, esposas e mãe dos traficantes.

Conforme o delegado Bruno Victor, titular da Delegacia de Repressão a Entorpecentes, as mulheres exerciam o papel de arrecadar e guardar o dinheiro oriundo do tráfico.

Os líderes do tráfico são proprietários de empresas de fornecimento de gás e instalação de gás industrial e a principal suspeita da polícia é de que eles as utilizavam para lavagem de dinheiro.

“A movimentação financeira dos donos da empresa não é compatível com a movimentação dos serviços das empresas. Os proprietários são os líderes da organização, então o elo está quase 100% fechado”, explicou o delegado.

A ação aconteceu nos bairros de Valentina, Gramame, Mangabeira, Bairros dos Estados, Cristo e na cidade de Santa Rita. Foram apreendidos R$ 90 mil e dois veículos de luxo.

A droga traficada pelas duas organizações criminosas eram trazidas da Bolívia, passando pelo Acre. Os bandidos utilizavam vários tipo de transporte para envio da droga à Paraíba, até através de encomendas pelos Correios.

Entre os alvos da ação de hoje estão pessoas naturais do Acre, que estavam residindo em João Pessoa. Com eles foram apreendidos máquina de contar dinheiro, além de cocaína.

Todos os presos continuam detidos, aguardando audiência de custódia.

MaisPB