Artchopperia nega proibição ou constrangimento envolvendo mulheres trans; confira nota Artchopperia nega proibição ou constrangimento envolvendo mulheres trans; confira nota Artchopperia nega proibição ou constrangimento envolvendo mulheres trans; confira nota

BANNER PRINCIPAL

BLOCO pequeno I

SUPER BANNER

SUPER BANNER

Artchopperia nega proibição ou constrangimento envolvendo mulheres trans; confira nota






Duas mulheres trans usaram as suas páginas nas redes sociais para reclamar que foram impedidas de usar o banheiro feminino no último domingo (27) na Artchopperia na cidade de Cajazeiras, Alto Sertão da Paraíba.

Elas dizem que discutiram com o dono do estabelecimento e confirmaram que vão a justiça para processá-lo por transfobia.

Em nota na manhã desta quarta-feira (30), a direção da Artchopperia se pronunciou sobre o fato esclarece que em nenhum momento houve proibição ou constrangimento causado às mulheres trans conhecidas como “Riquinha” e “Acega”.

A Artchopperia declara que está à disposição para prestar todos os esclarecimentos

Confira:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Artchopperia, referente a acusação contra o seu proprietário de impedimento de uso do banheiro feminino por mulheres trans, fato ocorrido no domingo, dia 27 de junho de 2021, por volta das 17h:26m, esclarece que em nenhum momento houve proibição ou constrangimento causado às mulheres trans conhecidas como “Riquinha” e “Acega”, tanto que elas, chegaram ao local, no mesmo dia, às 12h:50m, e usaram o banheiro feminino normalmente, por diversas vezes, tendo, depois, publicado vídeo particionado nas redes sociais, gerando repercussão a qual não foi condizente à realidade dos fatos.

Esclarece, ainda, que além da data acima citada, corriqueiramente, as mesmas mulheres trans frequentaram a Artchopperia e lá sempre fizeram o uso do banheiro feminino, sem restrição ou constrangimento.

Enaltece, também, que a Artchopperia, empreendimento que funciona na cidade de Cajazeiras há 15 anos, sempre respeitou a diversidade sexual e liberdade de gênero, tendo em muitos lugares da casa, em cumprimento a lei, placas informando quanto a proibição à discriminação sexual e, além disso, tem dentre os seus colaboradores membros da comunidade LGBTQIA+.

Por fim, a Artchopperia declara que está à disposição para prestar todos os esclarecimentos sobre o fato narrado acima, e que se mantém, de portar abertas, para receber bem todas as pessoas, independente da orientação sexual, etnia, classe social e religião, para cumprir a sua missão que é oferecer serviço de bar e restaurante, com alimentação de qualidade e entretenimento.



com Assessoria