Jovem invade creche e mata 2 professoras e 3 crianças em Santa Catarina Jovem invade creche e mata 2 professoras e 3 crianças em Santa Catarina Jovem invade creche e mata 2 professoras e 3 crianças em Santa Catarina

BANNER PRINCIPAL

BLOCO pequeno I

SUPER BANNER

SUPER BANNER

Jovem invade creche e mata 2 professoras e 3 crianças em Santa Catarina



Um adolescente de 18 anos invadiu uma creche do bairro Industrial em Saudades, cidade no oeste de Santa Catarina, e matou pelo menos duas professoras e três crianças com um facão, na manhã desta terça-feira (4). A informação do ataque foi confirmada pela Polícia Militar de Chapecó e pela Secretaria Municipal de Educação do município ao R7.

O ataque ocorreu na Escola Infantil e Berçário Pró-Infância Aquarela que atende alunos de seis meses a dois anos de idade.

Leia também
• Massacre em Suzano faz um ano e governo aumenta segurança em escolas• Alunos do segundo ano do Ensino Médio retornam às aulas presenciais nas escolas estaduais
As crianças, duas meninas e um menino, completariam dois anos no segundo semestre deste ano, informou a secretária de educação da cidade, Gisela Hermann. Elas foram identificadas como Ana Bela, Sara Luisa e Murilo.

Gisela relata que, logo que soube da notícia, foi uma das primeiras pessoas a chegarem no local. "Muito sangue. É uma cena de terror, de horror... fiquei muito abalada", afirmou a secretária à reportagem. 

Segundo os bombeiros, uma professora morreu no local e outra chegou a ser levada ao Hospital Regional do Oeste, de Chapecó, em estado grave, mas não resistiu.

O autor do ataque tentou suicídio, ficou gravemente ferido e foi conduzido ao município de Pinhalzinho, a 11 km do município de Saudades. O jovem recebe atendimento sob escolta policial.

Repercussão
O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, usou as redes sociais para lamentar o ataque. "Devastadora a notícia da chacina registrada no município de Saudades vitimando crianças e professores de uma creche na manhã desta terça-feira. Minha solidariedade às famílias, à comunidade escolar e a todos os moradores da acolhedora cidade do nosso Oeste" escreveu Moisés.

"É uma tragédia", disse o comandante do 2º BPM de Chapecó, major Ademir Barcarollo.