Garota trans morta a facadas em Juazeiro sofreu ofensas homofóbicas antes de ser assassinada, diz família Garota trans morta a facadas em Juazeiro sofreu ofensas homofóbicas antes de ser assassinada, diz família Garota trans morta a facadas em Juazeiro sofreu ofensas homofóbicas antes de ser assassinada, diz família

BANNER PRINCIPAL

BLOCO pequeno I

SUPER BANNER

SUPER BANNER

Garota trans morta a facadas em Juazeiro sofreu ofensas homofóbicas antes de ser assassinada, diz família




Vítima e amiga foram perseguidas após serem ofendidas por um grupo. Um inquérito policial foi instaurado, e a Delegacia Regional de Juazeiro do Norte investiga o caso.

A adolescente trans Pietra Valentina, de 16 anos, sofreu ofensa homofóbicas antes de ser assassinada a facadas em Juazeiro do Norte, conforme a família. Ela estava acompanhada de uma amiga, que conseguiu fugir do ataque.

O crime aconteceu no dia 5 de abril, na Travessa são Sebastião, no bairro Pio XII. Até está segunda-feira (12), uma semana depois do assassinato, ninguém foi preso, e o caso é investigado pelo Núcleo de Homicídio e Proteção à Pessoa (NHPP) da Delegacia Regional de Juazeiro do Norte.

De acordo com uma parente de Pietra, ela e uma amiga caminhava pelo bairro quando foram ofendidas por um grupo que consumia bebida alcoólica.

"Nessa volta que elas foram dar, elas passaram em frente a um pessoal que estava em uma casa, tinha várias pessoas bebendo nesta casa e soltaram uma piada relacionada. A única palavra que ela escutou foi 'viado'. Elas seguiram e continuaram andando, justamente pelo fato de serem acostumadas a escutar essas piadas das pessoas e elas seguiram o destino delas para onde iriam", relata a parente.

Segundo a familiar, após o episódio as jovens foram seguidas por duas pessoas em uma motocicleta. "Ele (amigo da vítima) disse que após dá a volta no quarteirão do local onde as pessoas estavam, vieram duas pessoas de moto que acompanharam eles, e aí já desceu da moto e já foi para o lado de Pietra. Como o pessoal foi por trás deles, e Pietra estava mais atrás, o amigo dele conseguiu correr, mas eles conseguiram segurar Pietra e esfaquearam ela. O amigo dela com medo saiu correndo e foi embora", afirma.