Denuncia de irregularidades no concurso do cartório extrajudicial na Paraíba Denuncia de irregularidades no concurso do cartório extrajudicial na Paraíba Denuncia de irregularidades no concurso do cartório extrajudicial na Paraíba
SUPER BANNER

Denuncia de irregularidades no concurso do cartório extrajudicial na Paraíba







Denuncia de irregularidades no concurso do cartório extrajudicial na ParaíbaPor: Radar Sertanejo31 de dezembro de 2020
Concurso público de provas e títulos das serventias extrajudiciais da paraíba é recheado de irregularidades e apresenta sérios indícios de fraudes e acordos escusos por parte do TJPB e tabeliões. Cartórios de grande porte do nosso estado que deveriam ter participado do concurso público de provas e títulos, conforme edital 001/2013 não participaram, tendo em vista “arrumadinhos” entre tabeliões e cúpula do TJ-PB. Os tabeliões teriam que escolher entre a função desempenhada nos respectivos fóruns e o exercício do tabelionato, sendo vedado optar pelos dois vínculos, não sendo possível o acúmulo de cargos. Contudo, em virtude de manobras entre tabeliões renomados e cúpula do TJPB, alguns simplesmente deram entrada em aposentadorias vitalícias do cargo que exerciam nos fóruns e permaneceram atuando como tabeliões em seus respectivos cartórios, um dos exemplos é o senhor Germano Toscano de Brito – Proprietário do cartório Toscano de Brito serviço notarial e registral, localizado na Rua Cândido Pessoa, 31, Varadouro – 58010-460, João Pessoa-PB, acrescenta-se ainda que o mesmo é presidente da ANOREG-PB – Associação dos Notários e Registradores do Estado da Paraíba e o mais grave, foi escolhido/indicado como membro integrante da Comissão do Concurso, ou seja; Germano Toscano além de não sido inscrito no concurso público de provas e títulos teve a proeza de participar do mesmo como membro e, permaneceu com os dois vínculos, desse modo, teve total controle e acesso aos dados dos concurseiros inscritos e consequentemente, a facilidade de manipular resultados e praticar outros atos ilícitos. Perguntamos: em qual lei o senhor germano toscano e outros denunciados estão respaldados? Existe resposta concreta para esta indagação?

PUBLICIDADEPublicidade 300 x 250


A outorga dada pelo Presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos – Delegação nº 01/2020 aos 414 candidatos aprovados no Primeiro Concurso Público para Outorga de Delegações de Serviços Notariais e Registrais do Estado da Paraíba, as Serventias Extrajudiciais, se encontra recheada de eivas, desde a elaboração do Edital supra, passando por acordos ilícitos, indicações para comissão de pessoas inaptas, tabeliões ausentes ao certame por serem pessoas influentes na sociedade, etc. Mas, O Artigo 5º da Constituição Federal (CF) de 1988 conta com 78 incisos que determinam quais são nossos direitos fundamentais, como a Igualdade de Gênero, a Liberdade de Manifestação do Pensamento e a Liberdade de Locomoção, que têm como objetivo assegurar uma vida digna, livre e igualitária a todos os cidadãos de nosso País. Será que nossa Constituição realmente está sendo levada a sério?



Indignados com tamanho desrespeito aos princípios legais, fora protocolado denúncia junto ao CNJ para apurar as irregularidades, pedir a anulação do certame e a realização de novo concurso, sendo que, com banca realizadora de autonomia e responsabilidades, com membros da comissão sem vínculos familiares e profissionais a pessoas dos tabeliões e que haja total lisura no mesmo. PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS – 0008629-89.2020.2.00.0000, no qual, o CNJ pediu informações ao TJPB ficando a resposta para o ano 2021.



O site PBAGORA publicou no último dia 19 de dezembro matéria com título – ANÁLISE: MACHISMO, ACÚMULO EXCESSIVO DE TRABALHO COMPROMETEM DECISÕES E JUÍZES SAEM DOS “TRILHOS”.




Veja a matéria na integra clicando aqui.



FONTE: Site Denúncia Paraíba