Delegado fala sobre caso de jovem encontrado supostamente enforcado na cidade de Patos





A morte do jovem Francisco Ruan Medeiros de Sousa, de 19 anos de idade, encontrado supostamente enforcado na localidade conhecida por Campo do Poeirão, bairro do Jatobá, setor Sul de Patos, ainda está permeado de dúvidas quanto à causa da morte.  

O corpo de Ruan já se encontrava em estado de decomposição, o cadáver apresentava uma corda amarrada ao pescoço, e a outra ponta presa a uma árvore, sugerindo inicialmente um suicídio, porém alguns fatos chamaram a atenção da perícia. O local onde a corda foi amarrada, ou seja, a parte da árvore era baixo, tendo a vítima ficado quase de joelhos. 

O delegado Manoel Martins concedeu entrevista à imprensa local e na ocasião disse que o corpo da vítima foi reconhecido inicialmente em virtude das fotos publicadas nas redes sociais, uma vez que os familiares acabaram reconhecendo a vítima que residia na rua Manoel Pedro no bairro Monte Castelo. 

 Devido às condições que o corpo da vítima foi encontrado, os familiares acompanharam o mesmo até a cidade de Campina Grande, onde seria feito a comprovação do DNA.  

“No local, aparentemente a situação era de enforcamento. Resta saber se o enforcamento foi voluntário ou provocado por terceiro, isso só a perícia poderá comprovar. De acordo com minha experiência, acredito que tratou-se de um enforcamento, mas se houve algo diferenciado, isso só a perícia vai detectar, e consequentemente nós desenvolveremos a linha de investigação”, explicou o delegado Manoel Martins. 

O delegado ainda informou que a vítima já tinha problemas com a justiça.  





Matéria por Patosonline.com