Tricolor leva gol no fim, perde do Furacão e não consegue embalar São Paulo, SP




O São Paulo parecia bem próximo de conquistar um ponto na Arena da Baixada e manter sua invencibilidade recente no Campeonato Brasileiro, mas um escorregão de Denis e uma furada de Rodrigo Caio no mesmo lance acabaram dando a Pablo, do Atlético-PR, a chance de marcar o único gol da vitória rubro-negra sobre os tricolores. Foi o 16º jogo dos são-paulinos no estádio, ainda sem vitória.

Com o resultado, o clube do Morumbi permanece com 34 pontos na tabela de classificação, ainda a uma distância razoável da zona de rebaixamento, e agora terá pela frente o duelo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, contra o Juventude, fora de casa, na quinta-feira. Os gaúchos venceram por 2 a 1 na capital paulista e jogam por um empate em casa. Os paranaenses, por sua vez, chegam aos 39 pontos e encostam no G4.

Na próxima rodada do torneio de pontos corridos, os comandados de Ricardo Gomes visitam a equipe do Vitória, no estádio do Barradão, em duelo marcado para o domingo, dia 25, às 16h (de Brasília). Já Paulo Autuori e sua trupe continuam na Arena da Baixada. No mesmo dia, os paranaenses recebem a Ponte Preta, às 11h.

Goleiros param os raros ataques

O primeiro tempo do duelo na capital paranaense reuniu duas equipes com sistemas defensivos aplicados e atletas bastante dedicados. Na parte ofensiva, por outro lado, faltou a ambos os lados uma qualidade maior na hora de vencer as marcações e colocar os companheiros na cara do gol, com as bolas paradas sendo as maiores aliadas na hora de chegar com perigo ao gol adversário.

Na primeira boa oportunidade, aos 12 minutos de bola rolando, os donos da casa só não abriram o placar porque Denis mostrou ter superado a fase de desconfianças que o cercou nesta temporada. Após levantamento na área feito pelo lateral esquerdo Lucas, cobrando falta na intermediária ofensiva, Thiago Heleno subiu na altura da marca do pênalti, totalmente livre de marcação e cabeceou para o chão. O goleiro são-paulino caiu rapidamente e praticou bela defesa.

Depois disso, o duelo passou por cerca de 20 minutos de muitos erros de passe e desconcentração dos atacantes, seguidamente impedidos tanto pelo lado dos anfitriões quanto pelo lado dos visitantes. Para quebrar a monotonia que se estabelecia foi preciso que o peruano Cueva desse seu toque de classe, aos 35 minutos do segundo tempo. O armador recebeu na esquerda, limpou Léo e cruzou na pequena área, onde Chavez desviou com a perna esquerda. Rápido, Weverton espalmou para longe.

Ainda antes do intervalo, cada lado conseguiu criar mais uma chance, dessa vez em chutes de fora da área, mas novamente os goleiros foram soberanos. Na primeira, Pablo aproveitou sobra de bola na intermediária e arriscou de primeira. A bola ia no canto esquerdo, mas Denis espalmou para escanteio. Na resposta, Cueva recebeu na meia-lua da grande área, ajeitou para o pé direito e bateu colocado, mas sem força. Weverton defendeu em dois tempos.

Falhas e azar decretam derrota tricolor

O São Paulo retornou para a etapa final com uma proposta de jogo semelhante à da primeira, esperando o Atlético em seu campo de defesa e apostando nas esticadas de bola para o peruano Cueva. Insatisfeito com o 0 a 0, o técnico Paulo Autuori tratou de jogar os mandantes para frente, apostando na entrada de Luciano Cabral para dar mais qualidade à sua armação de jogo.

Ainda assim, prevaleceram as defesas sobre os ataques, mas, dessa vez, o jogo transcorreu praticamente a todo momento no campo de ataque dos atleticanos. Cabral deu trabalho logo a um minuto, ganhando jogada dentro da área, pelo lado esquerdo, e arriscando chute rasteiro, que passou ao lado da trave de Denis.

Os espaços na defesa são-paulina só foram aparecer aos 30 minutos, quando o mesmo Cabral descolou belo passe para Juninho, que invadia a área pelo lado direito. Sem marcação, o atacante deu um toque na bola e chutou cruzado, exigindo outra boa defesa do goleiro Denis, espalmando para o lado e afastando o perigo.

Quando parecia que o arqueiro tricolor voltaria para casa como grande herói, no entanto, uma sucessão de falhas e até certo azar selou o revés do clube do Morumbi. Aos 35 minutos, após escanteio curto cobrado pela direita, Juninho levantou na área e a bola desviou de leve em Michel Bastos, mudando um pouco sua rota. Denis tentou acertar a passada, mas escorregou e não conseguiu afastar o perigo. A bola ainda passou por André Lima e Rodrigo Caio antes de bater no peito de Pablo e entrar lentamente no gol. Rodrigo ainda tentou evitar o lance, mas furou e caiu junto com a redonda dentro do gol.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-PR 1 X 0 SÃO PAULO

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 18 de setembro de 2016, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa-RS)
Assistentes: Elio Nepomuceno de Andrade Junior (RS) e Antônio Joao do Prado Lima Albornoz (RS)
Cartões amarelos: Léo (Atlético-PR); Denis (São Paulo)
Gols:
ATLÉTICO-PR: Pablo, aos 35 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-PR: Weverton; Léo, Thiago Heleno, Paulo André e Nicolas; Otávio, Hernani, Matheus Rossetto (Luciano Cabral) (Renan Paulino) e Pablo; Lucas Fernandes (Juninho) e André Lima
Técnico: Paulo Autuori

SÃO PAULO: Denis; Julio Buffarini, Maicon (Lyanco), Rodrigo Caio e Eugenio Mena; Thiago Mendes, Hudson, Kelvin (Robson), Wesley (Michel Bastos) e Christian Cueva; Andres Chavez
Técnico: Ricardo Gomes

Gazeta esportiva