Família paraibana é achada morta e esquartejada em província da Espanha




Um casal paraibano e seus dois filhos foram encontrados mortos na madrugada desse domingo (18), em uma casa na província espanhola de Guadalajara, distante 60 km da capital Madri. Segundo familiares das vítimas, o homem tinha 40 anos e a mulher, 39. O casal e a filha mais velha, de cinco anos, são naturais de João Pessoa; já o caçula, de um ano, teria nascido na Espanha. Familiares não souberam informar o que pode ter motivado o assassinato e já tratam questões legais e liberação dos corpos com Embaixada do Brasil no país europeu. Veja vídeo abaixo


De acordo com o jornal espanhol El Pais, os corpos foram encontrados em sacos plásticos. O casal foi esquartejado e teve partes do corpo distribuídas em dois pacotes cada. As crianças não foram desmembradas. Autoridades espanholas acreditam que o crime tenha sido um ajuste de contas. A hipótese foi reforçada pelo presidente da Sociedade Espanhola de Perfis Criminais, Juan Francisco Alcaraz, em entrevista à Folha de S. Paulo.

O especialista acredita que o fato de que as crianças não foram esquartejadas passa a mensagem de que os assassinos queriam vingança apenas contra os pais. "Eles estão dizendo que os jovens eram inocentes e foram um dano colateral", disse Alcaraz, à publicação.

Ele também acredita que o crime foi praticado por uma grande organização criminosa. No entanto, até o momento, não existem indícios da participação do casal em esquemas ilícitos que fundamentem melhor esta tese. Ainda à Folha de S. Paulo, moradores do condomínio disseram que quase nunca encontravam a família nas ruas.

A casa onde os brasileiros foram achados estava quase vazia, o que, para o El País, indica que as vítimas fugiam de alguém. Pelo estado dos corpos, as autoridades espanholas acreditam que o crime tenha ocorrido há pelo menos um mês, segundo divulgado pelo jornal. Os corpos foram encontrados depois que um vizinho se queixou de mau cheiro vindo da casa.

Em João Pessoa, o pai da mulher assassinada passou mal ao saber do crime. Ele foi levado a um hospital particular da Capital e não corre risco de morte.

O Portal Correio tentou contato com a representação brasileira na Espanha para saber detalhes do caso e investigações, mas não obteve resposta até a publicação.