Defesa funciona, Jesus brilha e Brasil vence em estreia de Tite


Tite estreou da melhor maneira possível no seu novo cargo, nesta quinta-feira (1). E teve a ajuda fundamental de outro estreante na seleção brasileira: Gabriel Jesus. O atacante do Palmeiras sofreu um pênalti convertido por Neymar e marcou outros dois golaços na vitória por 3 a 0 diante do Equador em plena altitude de Quito, na 7ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

O resultado foi além do planejamento da comissão técnica. Antes de a bola rolar, a ideia era não perder nesta quinta-feira e vencer o próximo compromisso para garantir quatro pontos nos dois jogos desta rodada. O Brasil não vencia no Equador desde 1983 em eliminatórias. Neymar não marcava pela seleção principal desde setembro de 2015. Os equatorianos não perdiam em casa desde 2009. Todos os tabus foram quebrados.

Agora, a seleção pentacampeã tem 12 pontos e ocupa a 4ª colocação de forma provisória, atrás de Equador, Colômbia e Uruguai, que têm 13 pontos. Os uruguaios, no entanto, ainda jogam nesta quinta-feira, às 20h30, contra a Argentina, que tem 11 pontos.

Logo após o jogo, o Brasil vai direto para Manaus em voo fretado. Lá, o time trabalha até terça-feira, onde joga contra a Colômbia às 21h45 de terça-feira (6). No mesmo dia, mas às 23h15, o Equador joga contra o Peru, em Lima.


AFP PHOTO / RODRIGO BUENDIA

Gabriel Jesus cumpre papel de referência
O Brasil começou com a marcação recuada e sem muita atitude ofensiva. Foi assim que o Equador chegou a criar algumas situações na intermediária e até deu um susto na zaga brasileira em um cruzamento, mas nada que fizesse Alisson ser muito exigido. Durante este período, Willian e Neymar ficavam abertos, com Gabriel Jesus fazendo o papel de referência. Foi com o atacante palmeirense que a equipe criou as melhores chances, especialmente após a zaga brasileira subir um pouco mais a marcação.

Troca de posição entre Neymar e Jesus
Por causa do cansaço de Neymar, Tite promoveu a troca de posição com Jesus em algumas situações. Assim, o atacante do Barcelona precisava voltar menos para a marcação e preservava o físico. Nos primeiros 45 minutos de Tite, a principal falha da equipe aconteceu nas laterais, com Daniel Alves e Marcelo participando menos do jogo do que o ideal.

Jogo deslocado para as laterais no 2º tempo
O Brasil passou a forçar mais os jogos pelas laterais no 2º tempo. Marcelo e Neymar se aproximaram e passaram a criar mais oportunidades pelas pontas. Um pouco sumido, Willian acabou substituído aos 15 minutos por Philippe Coutinho. A ideia era repetir a tabelinha feita na outra lateral, mas com Daniel Alves. O Brasil, inclusive, teve boas chances com cruzamentos vindos da direita. Casemiro controlou muito bem o meio-campo e também merece destaque.

Neymar quebra jejum pessoal e invencibilidade do Equador
O jogo começava a ficar nervoso, até que a velocidade de Jesus fez a diferença. O atacante surpreendeu Mina na velocidade, roubou a bola dentro da área e saiu cara a cara com o goleiro adversário, que fez pênalti. Neymar converteu e encerrou um longo jejum de quase um ano. A última vez que ele havia marcado pela seleção principal havia sido em setembro, em amistoso contra os Estados Unidos. Ao mesmo tempo, o triunfo significa a primeira derrota equatoriana em casa desde 2009.

Jesus coroa atuação
O jogo começou a se encaminhar para a vitória após a expulsão de Paredes. Além disso, havia um jogador iluminado. Gabriel Jesus, em sua estreia com a camisa da seleção brasileira no time principal, foi o melhor em campo. Se antes ele já havia sofrido o pênalti para Neymar converter, aos 41 minutos ele completou a atuação de gala com um golaço após cruzamento da esquerda. Já nos acréscimos, ainda fez outro golaço para mostrar ao mundo porque vale milhões de euros.

FICHA TÉCNICA
EQUADOR 0 X 3 BRASIL

Data: 01/09/2016 (quinta-feira)
Local: Estádio Olímpico Atahualpa (em Quito, Equador)
Público: 34.887 pagantes
Renda: US$ 1.401.100,00
Árbitro: Enrique Cáceres Villafañe (Paraguai)
Auxiliares: Eduardo Cardoso Escobar e Milciades Saldivar Franco (ambos do Paraguai)
Cartões amarelos: Bolaños, Montero, Domínguez e Paredes (EQU); Paulinho (BRA)
Cartão vermelho: Paredes (EQU)
Gols: Neymar, aos 25 minutos do 2º tempo, Gabriel Jesus, aos 41 e 46 minutos do 2º tempo

EQUADOR
Alexander Domínguez; Paredes, Gabriel Achilier, Arturo Mina e Walter Ayoví; Christian Noboa, Gruezo (Gaibor), Enner Valência e Jefferson Montero (Arroyo); Miller Bolaños e Felipe Caicedo (Ibarra)
Técnico: Gustavo Quinteros

BRASIL
Alison; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Marcelo; Casemiro, Renato Augusto, Paulinho, William (Philippe Coutinho) e Neymar; Gabriel Jesus
Técnico: Tite