Renato Gadelha é indicado pelos deputados para assumir presidência da Frente Parlamentar das Águas da ALPB




Se depender de boa parte dos parlamentares paraibanos, inclusive do deputado estadual Jeová Campos, Renato Gadelha deve assumir a presidência da Frente Parlamentar das Águas e coordenar os trabalhos que até então estavam sendo comandados por Jeová, que reiterou da tribuna da Casa, na manhã de hoje (30), sua decisão, irrevogável, apesar de inúmeros apelos dos colegas, de não mais presidir as ações da Frente. Uma lista circulou nesta terça-feira no plenário da Assembleia e já contava com mais de 20 assinaturas com a sugestão do nome de Renato para assumir o compromisso de continuar as ações da Frente.

“Eu não tenho mais condições políticas de me reunir com os novos mandatários do governo federal e Renato Gadelha tem esse trânsito. Ele foi um parlamentar que sempre esteve presente em todas as ações da Frente das Águas e se doou bastante às causas da seca, além disso tem conhecimento de causa e possibilidade de abrir um diálogo com o governo federal e fazer as articulações necessárias que façam acontecer o que o povo da Paraíba precisa que é ter água para viver”, disse Jeová.

O deputado lembrou que sofreu boicote da bancada federal paraibana e reconheceu que não tem disposição, nem condições, na atual conjuntura política, de ser interlocutor da ALPB junto ao governo federal. “Os deputados federais foram convidados para todos os eventos que fizemos e nunca compareceram. Como eu tenho um lado muito definido da defesa da presidente Dilma em relação a esse golpe, penso eu que eles tomaram a decisão de isolar o trabalho da Frente e eu acho que não é razoável ter uma Frente com um papel tão importante, tão expressivo, com uma demanda que é uma das mais importantes da Paraíba que é a questão da água e você não ter diálogo objetivo e prático para resolver os problemas. De forma que eu reconheço, humildemente, que fui excluído pela bancada e outra pessoa precisa assumir esse papel de coordenar os trabalhos em nome da Casa de Epitácio Pessoa e Renato Gadelha é um bom nome”, finalizou Jeová, que presidiu os trabalhos da ALPB, nesta terça-feira.