Posto de Polícia Rodoviária Federal corre o risco de ser definitivamente desativado em Pombal



Posto de Polícia Rodoviária Federal corre o risco de ser definitivamente desativado em Pombal
Novas informações repassadas com exclusividade por policiais rodoviários que prestam serviço em Pombal, afirmam que o Posto Operacional local poderá ser definitivamente desativado.

O projeto não é de hoje, já tendo havido a tentativa há tempos atrás sob a alegação de que a PRF não dispõe de um maior efetivo para atender a demanda, necessidade de enxugamento de custos, além da inoperância por se encontrar com a sua estrutura no perímetro urbano da cidade.

Na ocasião entidades locais iniciaram uma mobilização no sentido de evitar a perda, que seria grandiosa para uma das cidades mais antigas da Paraíba cortada por duas BRs (230 e 427).

Lideranças políticas em nível federal, estadual e municipal também utilizaram suas tribunas em defesa da causa expressando a posição contrária com relação à desativação da unidade.

A decisão afetaria a segurança da cidade limitando o trabalho dos que são responsáveis pela fiscalização nas estradas federais, cuja atuação se resumiria a blitz em todo o trecho de forma inconstante.

Mesmo funcionando no perímetro urbano o Posto PCC 3/2 – subordinado a 3ª Delegacia, tem sido importante no atendimento a acidentes e combate a criminalidade, muitas vezes fortalecendo o trabalho da Polícia Militar que não pode extrapolar sua competência institucional quando se trata de rodovias federais resultando em atividades exitosas no combate ao trafico de drogas, veículos roubados ou prisões correcionais.

Outro aspecto positivo: a fiscalização do tráfego de veículos que acontece diuturnamente.

O resultado foi a sua permanência, porém como unidade de apoio aos rodoviários em serviço na área.

Com a realização dos jogos olímpicos, quando agentes foram convocados para a segurança na capital fluminense e adjacências, o posto permaneceu mais de um mês fechado.

Ao retornarem ao serviço nesta segunda-feira (29), os policiais informaram à decisão que poderá ser confirmada nos próximos dias.

A permanência ou não da estrutura em Pombal divide opiniões, no entanto boa parte das pessoas defende que a mesma seja mantida com o seu funcionamento na cidade.


Marcelino Neto