Visita a obras da Transposição detecta que abandono da Mendes Júnior impossibilitará chegada das águas em 2016





Em visita de inspeção as obras da Transposição do Rio São Francisco, a Frente Parlamentar das Águas constatou um problema que deve adiar a conclusão da obra para o final de 2016 como prevê o ministro da Integração Nacional. Acompanhado de membros da imprensa, o deputado Jeová Campos (PSB), viu de perto o andamento dos trabalhos apreciando a grandiosidade daquele investimento que tem por objetivo mudar o cenário do Sertão nordestino levando água do Velho Chico.

A exemplo do que foi detectado na visita anterior de inspeção pela Frente Parlamentar das Águas, onde foi descoberto a inexistência de licitação para concluir o trabalho na barragem de Caiçara até o açude de Engenheiro Ávidos, outro problema foi verificado que pode adiar a conclusão desse sonho de todos nordestinos. O abandono da construtora Mendes Junior de uma parte do serviço impossibilitará que as águas da transposição cheguem às regiões atingidas pela seca e que passam dificuldades sérias.


Dona de dois contratos do projeto da transposição, que somam mais de 1,2 bilhão de reais, a Mendes Júnior tem feito demissões em massa na obra desde o fim de 2014. As paralisações teriam relação direta com as dificuldades financeiras enfrentadas pela empresa.

O contrato com a Mendes Junior engloba a construção de canais, estações de bombeamento, túneis e reservatórios. Só que resta ainda a construção de três pontes e finalização de outros serviços como as estações de bombeamento 2 e 3 e uma parte de canal.


Diante da situação, foi sugerido a criação de um Fórum que terá objetivo de buscar uma solução juntos os deputados e senadores e o próprio Tribunal de Contas da União (TCU), para viabilizar uma forma de sanar o problema sem a necessidade de uma nova licitação que demandaria muito tempo. A solução mais viável seria a empresa Serveng Civilsan que tem intensificado seus serviços em um trecho da obra, inclusive, concluiu cinco barragens na região, tocar os serviços abandonados pela Mendes Junior. Dessa forma, poderíamos vislumbrar a chegada das águas até o início de 2017.




Redação Portal CZN

J.França Com fotos de Ângelo Lima