Como bem disse Lindbergh ‘renúncia de Cunha tem cheiro de pizza e o cozinheiro responsável é Michel Temer’


            A saída de Eduardo Cunha do comando da Câmara dos Deputados, através da renúncia anunciada ontem (07) é, na opinião do deputado estadual Jeová Campos (PSB), mais uma manobra para desviar o foco do processo contra ele e a última tentativa espúria de salvar o mandato do parlamentar. “Quem melhor definiu essa manobra que envergonha o país, foi o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) que escreveu em sua rede social que a renúncia dele tem cheiro de pizza e o cozinheiro responsável é Michel Temer. Aliás, essa dupla que enoja a política do país, foi a principal articuladora do golpe que afastou, injustamente, a presidente Dilma do cargo”, destaca Jeová.

            A renúncia, segundo Jeová, regada a ‘lágrimas de crocodilo’, tem o único objetivo de manter o mandato de Cunha. “Não bastasse a série de medidas protelatórias para adiar a votação da cassação no Conselho de Ética da Câmara, Cunha ainda articula com sua renúncia a manutenção de seu mandato o que lhe permitirá articular livremente a candidatura do seu sucessor na presidência da Casa, que logicamente terá a missão de evitar a cassação dele e como há muito comprometimento na Câmara isso é bem possível”, afirma Jeová. Ele lembra que é importante que a sociedade se manifeste, lembrando que a mobilização popular contra essa jogada é fundamental para que ela seja minada e não tenha o êxito esperado pelos seus mentores.