MPF deflagra Operação Desumanidade 2 e movimenta ruas e o cenário político na região de Patos




O Ministério Público Federal (MPF) deu seguimento na manhã desta terça-feira, dia 28, a Operação Desumanidade. A ação tem apoio de Agentes da Polícia Federal e começou às 05h00 devendo cumprir 14 conduções coercitivas, 3 prisões preventivas, além de busca e apreensão nas cidades de Quixaba, Emas, João Pessoa e Patos.

A Desumanidade 2 teve sua 1ª ação em dezembro de 2015 e diz respeito ao desmantelamento de quadrilhas que atuam diretamente em esquemas envolvendo licitações em prefeituras com
Agentes nas ruas da cidade
Agentes nas ruas da cidade
 empresas de construção.

Na prisão preventiva está Cláudio Roberto Medeiros da Silva, José Aloysio da Costa Machado Júnior e José Aloysio da Costa Machado Neto, todos ligados à empresa SOCONSTROI que presta serviços em diversas obras para as prefeituras. As empresas Milenium, Viga Engenharia e COENCO também estão entre as investigadas pelo MPF.

Na condução coercitiva: Júlio César Medeiros Batista (prefeito de Quixaba), Wescley Candeia Santana, Ana Gerlane da Silva Formiga, Maxwell Brian Soares de Lacerda, José Vieira Dias Júnior, Madson Fernandes Lustosa, George Ramalho Barbosa, Peter Ramalho Barbosa, Ednaldo de Medeiros Nunes, Sebastião Cícero dos Santos, Edvaldo Alves de Brito, Paulo César Leite, Ana Luiza Medeiros Machado, Desiree Castro Soares Machado.

O MPF também expediu ofício ao Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal para que forneça informações sobre a movimentação bancária dos envolvidos nas investigações da Operação Desumanidade.

A Operação Desumanidade 2 fez busca e apreensão na Prefeitura Municipal de Quixaba e na residência do prefeito do referido município. A movimentação de advogados representantes dos envolvidos na sede do Ministério Público Federal é intensa e deve durar todo o dia desta terça-feira.






Jozivan Antero – Patosonline.com