Irmã encomendou morte de estudante em padaria no Jardim Luna, afirma polícia



A polícia prendeu nesta segunda-feira (27) uma mulher suspeita de mandar matar o próprio irmão em uma padaria no bairro de Jardim Luna, em João Pessoa, no último dia 4 de junho. De acordo com informações divulgadas pelo delegado Aldrovilli Grisi, que investiga o caso, a suspeita de ser mandate do crime era dona da padaria onde Marcos Antônio Filho, 28 anos, foi baleado durante um suposto assalto.

.A suspeita foi presa e encaminhada para a Central de Polícia, em João Pessoa. "Está comprovado que ela foi a mandante", frisou o delegado. Segundo Grisi, além da suspeita, outras pessoas que estariam no crime também foram presas.

O delegado não revelou, o que motivou o crime, nem que foram os outros presos. Os detalhes sobre a investigação devem ser revelados durante uma coletiva de imprensa na manhã da terça-feira (28).

Dois dias depois do crime, a conclusão após o primeiro exame feito por uma equipe do Instituto de Polícia Científica (IPC) foi de que o tiro que matou Marcos não foi acidental. Para o perito criminal responsável pela análise, Aldenir Lins, o crime tinha características de execução. No dia em que foi atingido pelo disparo, a vítima chegou a ser socorrida e levada para o Hospital de Trauma de João Pessoa, mas não resistiu e morreu no mesmo dia.

“Foram executados dois disparos. O primeiro disparo pegou em um lixeira, esse não foi direcionado para ninguém, foi um tiro direcionado para baixo, para o piso, e acabou atingindo a lixeira. O outro disparo foi exatamente na cabeça da vítima.


Jovem foi atingido por disparo em paradia (Foto: Walter Paparazzo/G1)

Esse outro disparo foi muito direcionado para a vítima. Ele não foi naquela coisa de um momento no calor da emoção, não houve reação por parte da vítima. Já deu para perceber que ele chegou, a vítima estava ao solo, estava rendida”, comentou Aldenir Lins após a primeira perícia.

O corpo do jovem de 28 anos foi enterrado na manhã do dia 5 de junho. O velório e o enterro aconteceram no Parque das Acácias, no José Américo, e foram acompanhados por amigos, familiares e colegas do jiu jitsu, esporte praticado pela vítima. Ele morreu no início da tarde do sábado no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa.

Investigação

O caso, que inicialmente foi investigado pela Delegacia de Homicídios passou para Roubos e Furtos, porque havia a suspeita de que fosse um latrocínio. A motocicleta de Marco Antônio Filho foi localizada ainda no dia do crime pela Polícia Militar, nas proximidades do Bairro São José. O dinheiro do caixa da padaria, levado pela dupla no dia do assalto, não foi localizado.

Marcos Antônio Filho era estudante de Veterinária da UFPB, do campus de Areia, no Agreste paraibano, e deveria se formar no próximo ano. Ele também era praticante de jiu-jitsu e já tinha marcado o exame de faixa, para assumir a faixa preta. Ele deixou uma filha de sete anos.

Do G1 PB